sábado, 24 de fevereiro de 2018

Azusa Maniac Epílogo - More Blood


-Monólogo-

Antes de tomar consciência disso,

Meu corpo de repente teve contusões por toda parte.

No entanto, quando você olha para isso,

Claramente, consegui obter o meu desejo.

Amorosamente, pensei neles,

E todas as noites antes de ir dormir, eu poderia fazer um hábito

De falar com eles.

Justin.

Christina.

E, finalmente, Melissa.

Quando todos eles estão próximos,

Eu posso dormir em paz.

Apenas por estar perto de todos vocês,

Mesmo quando eu acordo do meu sono leve,

Sem tempo ou motivo de existência,

Eu sou completamente diferente.

Mais,

Se apenas a existência de mais de vocês fosse feita,

Então eu me sentiria completo.

Até agora,

Eu só estava recebendo visitas,

Mas recentemente,

Comecei a ferir-me.

Todos vocês são preciosos

E não devem desaparecer deste mundo.

Os traços da faca na minha pele

Ficavam mais inchadas a cada hora

A partir daí,

O sangue vermelho começou a escorrer.

Cada vez mais

Quanto mais há para mim protegê-los,

Isso me deixa orgulhoso.

-Flashback; Cena: Corredor do Orfanato-

Azusa: ... ... ... ... Nnk.

*Tossindo*

(Aah, estou feliz ... ... todo mundo me atingiu no estomago!) [-q - ]

(Recentemente, parece que não é apenas o exterior do meu corpo, mas eu sinto que o interior está ferido também ... ...)

(Eu tenho bastante falta de ar, e é muito doloroso ... ... Hehe!)

*Tossindo* ... ...

(Fazer isso me traz resfriados ... ...)

(A minha febre acabou, mas ... ... ainda não consigo pensar com clareza ... ...)

Ei, Justin, por quanto tempo eu estive dormido?

Ah ... ...

(Por que Justin começou a desaparecer?)

Justin ... ..? Onde está você? Justin!!

... ... de jeito nenhum, não vá!

-Flash vermelho; Azusa se corta-

Azusa: (Por que, por que, POR QUE!?)

Por quê… …? E-Eu estava coberto de ataduras para que ninguém lhe tocasse!

-Azusa se corta novamente-

Azusa: Onde você vai, Justin ... ...!

-Outro corte-

Azusa: Volte. Volte aqui… …

-Azusa continua se cortando-

Azusa: Eu ... ... eu estou resfriado por sua causa... ...

-Outro corte-

Azusa: Justin ... ... Você está com raiva que eu não liguei para você ... ...

Não vá embora, não vá embora ... ...

-Azusa continua a reviver desesperadamente o Justin-

Azusa: Nunca mais vou pegar um resfriado. Estarei ao seu lado, Justin.

-Se corta novamente-

Azusa: Perdoa-me ... Desculpe, eu não poderia te proteger. Eu sinto muito… …

-Azusa se corte fortemente; Justin retorna-

Azusa: ... ... Ah ... ... Ahh ... ...! Justin voltou !!

-Mais cortes-

Azusa: Mais ... ... Venha mais perto ... ... Deixe-me abraçar você ... ...!

-Mais cortes-

Azusa: ... ... ... ... Ahh ... ... Bem-vindo de volta, Justin. Haa ... ...

Yuma: ... ... Você. O que você está fazendo?

Azusa: ... ... ... ... Ah.

Yuma: Não seja tão cauteloso. Não é como se eu fosse roubar sua comida ou algo assim.

Azusa: ... ... ... ... foi você?

Yuma: Hah?

Azusa: Você foi quem tentou tirar Justin?

Yuma: Nn... ... O que é isso? Bem, eu entrei em um momento ruim, então eu acho que você me culpou, mas eu não fiz nada, então não se preocupe.

Azusa: ... ... ... ...

Yuma: Eu não disse para não se preocupar com isso? Bem, tanto faz. Aqui.

Azusa: Isto é ... ...?

Yuma: Por que você está estranhando? É pão. P-Ã-O! [Meu Deus! Eu to rindo muito kkkk]

Azusa: Por que ... ... você está me dando isso?

Yuma: “Por que” ... ...? Você é fraco. Então coma.

Bem, eu roubei esse pão durante uma briga. Melhor do que nada, certo?

Azusa: ... ... ... ... ... ... O-Obrigado ... ...

... ... ... ... M-Mas ... ... vou devolver.

Yuma: Huh?

Azusa: ... ... porque eu costumava ser amigo de ladrões.

Yuma: Uhhm ... ...mas, o que é que tem?

Azusa: Então ... ... você não deveria se envolver comigo.

Yuma: ... ... ... ...

Por que não? Só porque você andava com parasitas malditos?

Mas, você não parece ser um cara ruim, então estou dando meu pão. Coma-o.

Além disso, não estou com fome. Eu vou comer depois se você não quiser.

Azusa: ... ... ... ...

Yuma: Hah? Novamente com esse olhar estranho? Haha … …! Você realmente é interessante.

Na próxima vez, trarei alguns caras como nós.

Ouviu?

Azusa: ... ... ... ...

-Monólogo-

Uma existência que não posso ferir

É uma existência que não é necessária para mim.

Então, quando o pão foi dado a mim,

Não entendia o que era esses sentimentos

Isso foi direcionado para mim.

Como não podia ferir-me,

Eu estava preocupado, isso não era necessário.

Se a minha existência for desnecessária,

Então, por que eu recebi pão?

Pensei por muito tempo enquanto

Olhava para o lugar onde ele estava.

A resposta não saiu.

Contudo,

Eu estava tentado gritar por algum motivo.

-Fim do Monólogo; Cena: Quarto da Yui-

Azusa: ... ... *Cantando* ... ...

... ... *Cantando* ... ...

Yui: (Essa voz é ... ...)

Azusa: ... ... *Cantando* ... ...

Imagem [Fofos *-*]

image

Yui: (Ahh ... ... É Azusa-kun, afinal)

(Isso mesmo... ... Azusa-kun sugou meu sangue e eu desmaiei no processo)

(Mesmo agora ... ... Meu corpo ainda está fraco ... ...)

Azusa: Nn ... ...?

... ... ... ... Ah ... ... Eu acordei você?

Desculpa.

Yui: Está tudo bem... De qualquer forma, qual era o nome dessa música que você estava cantando?

Azusa: Eu estava me perguntando a mesma coisa... ...mas, eu esqueci.

Yui: Eu vejo ... ... isso é muito ruim. Foi uma boa música.

(Mas, foi um pouco triste ... ...)

(Depois de ter sido quase morta por meu pai, entendi essa emoção mas ... ...)

(Quando ele está triste, ele se corta para afastar a solidão)

(E quando Azusa-kun era um humano, ele deve ter sentido a mesma coisa que eu ...)

(Sim. Não há dúvidas ... ... isso o fez querer se ferir cada vez mais)

(Justin e os outros são um mecanismo de enfrentamento para ele)

(Os amigos de Azusa-kun, as feridas em seu braço, também devem ser familiares para ele ... ...)

(Azusa-kun ... ...)

Azusa: ... ... Oh, você canta também, Yui-san.

Yui: Eh ... ... eu?

Azusa: Sim. Eu quero ouvir sua voz… … Por favor.

Yui: O-Okay. Embora eu não sou tão confiante ...

(Esse sentimento é ... ...?)

Azusa: ... ... ... ...

Por que isso? Quando você canta ... ... é uma melodia que está transbordando de esperança.

Yui: Você está me lisonjeando, Azusa-kun.

Azusa: Não é nada. Não é apenas a música ... ... Você ... ... é realmente estranho.

Foi assim quando eu conheci Yuma.

Yui: Yuma-kun?

Azusa: Isso mesmo.

De alguma forma é quente e gentil ... ...

... ... eu era pequeno e não tinha idéia do que fazer.

Yui: Azusa-kun ... ...

Azusa: Ei ... Deixe-me sugar seu sangue. Se eu sugar seu sangue, eu sei que você vai sentir isso.

Imagem relacionada

 Azusa: *Sugam*

Haa, *Engole*, Nn ... ... *Lambe*

Yui: Ah ... ...


-Monólogo-

Sem ouvir uma resposta,

Azusa-kun mergulhou suas presas em mim.

Não resisti.

Pelo contrário, eu

Sentia calor

E paz com o Azusa-kun.

Eu me pergunto o que é minha existência

Para Azusa-kun.

Minha existência

Compartilha a tristeza de Azusa-kun

Juntos… …

-Fim do Maniac Epílogo-

OBS: Contusões: "significa uma lesão traumática aguda, sem corte, decorrente de trauma direto aos tecidos moles e que provoca dor e edema"

Leia Mais ►

OZMAFIA - Caramia (vs. Kyrie) - Final Transferido A - Parte 1




Só algumas observações antes de continuar a tradução: 😉

1- Essa tradução é a continuação da parte 17, mas ela te leva para um dos finais com o KYRIE, então nas respostas dadas aqui você larga o Caramia e fica com o Kyrie. 

2- Abra o “Save 2” que você havia criado na Parte 17 e boa leitura! (^^)*:・゚






(Cenário: Escritório)


Caramia: “Então, foi decidido deixar os assassinos de rua perto das favelas para a família Boots por enquanto.”

Kyrie: “Entendo. Bem, bom trabalho na assembléia.”

Caramia: “...Kyrie, seu idiota.”

Kyrie: “Desculpa? Eu não fiz nada para merecer palavras tão cruéis. Que desagradável, senhor.”

Caramia: “Oh, mas você fez. Por que você fez nós nos beijarmos mais cedo?”

Kyrie: “Porque foi divertido, é claro. Ver vocês dois envergonhados é agradável.”

Caramia: “Porque foi divertido? O que tem de errado com você...? Aquele foi nosso primeiro beijo. Eu queria que ele fosse especial, mas você nos fez fazer isso como uma punição....”

Kyrie: “Ew, nojento.”

Caramia: “O que é nojento? Esse não é tipo de momento que você quer preservar?”

Kyrie: “Isso é algo que as pessoas querem fazer? Eu não faço a menor idéia.”

Kyrie: “Você e eu somos ambos adultos. Com certeza você já beijou antes.”

Kyrie: “Ou você começa a contar tudo de novo quando troca de parceira? Você não é um pirralho apaixonado.”

Kyrie: “Mas...eu acho que é um pouco surpreendente que vocês não tenham nem se beijado ainda.”





(Cenário: Corredor)


Fuka: (Eu me pergunto se o Sr. Caramia está trabalhando agora.)
Fuka: (...Eu espero que ele não se esforce tanto.)
Kyrie: (Posso te perguntar algo sobre a Srta. Fuka?)
Fuka: “!”
Ela ouviu seu próprio nome ser pronunciado dentro do escritório enquanto ela colocava as mãos na maçaneta da porta. Fez com que sua mente se desequilibrasse, e seu coração começou a bater forte.
Fuka: (Eu....Sobre o que eles estão falando...?)




(Cenário: Escritório)

Caramia: “O que eu gosto na Fuka?”
Kyrie: “Sim. O que exatamente fez com que você se sentisse atraído por ela? Eu quero saber.”
Caramia: “Oh, bem....tudo, eu acho?”
Kyrie: “Você realmente não pode dizer que não foi o tipo de resposta que eu estava procurando?”
Caramia: “Haha, desculpa. Bem....hmmm. Tem alguma coisa sobre ela. Ela tem um cheiro muito familiar.”
Kyrie: “Cheiro, huh...”
Caramia: “Oh, não me leve a mal, eu não estou dizendo que ela fede ou não nada do tipo, okay?”
Kyrie: “Eu não preciso da sua ajuda pra chegar a essa conclusão sozinho.”
Caramia: “Verdade? Você com certeza gosta de distorcer minhas palavras e depois soltá-las aumentando a proporção. Estou meio preocupado.”



(Cenário: Corredor)


Fuka: (....Familiar?)
Fuka: (De quem exatamente....eu faço ele se lembrar...?)




(Cenário: Quarto do Caramia)

Caramia: (...Eu fico de um jeito muito estranho quando estou com a signorina.)
Caramia: “Eu não consigo descobrir o que é esse cheiro. Eu sinto que eu devo saber o que é, mas não me lembro. ....Tudo o que eu posso dizer com certeza é que de quem quer ele seja, foi muito importante pra mim.”
Caramia: “Por alguma razão, eu sinto meu peito apertar quando eu penso sobre ela....Acho que eu devia tê-la amado.”
Caramia: “Esse cheiro familiar....está enfraquecendo, mas eu sinto que quase posso vê-la sobrepor a signorina. Eu não estou tentando imaginar outra pessoa no seu lugar ou nada disso, mas eu também não quero que a Fuka descubra....”




(Cenário: Quarto da Fuka)

Fuka: (Eu pareço com alguém...?)
Ele disse que ela ‘tinha um cheiro familiar’.
Fuka: (Alguém do seu passado...? Alguém que o Sr. Caramia amou no passado?)
Fuka não tinha um passado. Mesmo que alguma coisa tenha acontecido no passado dele, não havia nada que ela poderia dizer.
Havia uma nuvem sobre sua cabeça, e não mostrava sinais de que iria se afastar.
Fuka: “...Talvez eu deva perguntar a ele.”
Ela estava com medo de qual seria a resposta, mas ela não podia simplesmente esquecer isso.
Fuka: “...Eu quero que sejamos um casal adequado. Eu quero resolver isso para podermos avançar.”
Fuka: “Eu vou perguntar para o Sr. Caramia.”




(Cenário: Corredor)

Fuka: “Sr. Caramia, você está acordado?”





(Cenário: Quarto do Caramia)

Caramia: “Signorina, do que você precisa tão tarde? Não consegue dormir?”
Fuka: “Não, não é isso....”

Opções:
1- Como está se sentindo?
2- Nós precisamos conversar. (escolhida) 


Fuka: “Hum...nós precisamos conversar.”

Caramia: “Hm? Conversar sobre o que?”

A boca dela de repente ficou seca.

As palavras presas na garganta.

Fuka: (Eu devo falar sobre isso...?)
Ela envolveu seus próprios braços ao redor dela enquanto ela hesitava, incapaz de invocar a coragem para falar.
Caramia: “O que é essa cara....? Você teve um pesadelo?”
Caramia: “Você veio me ver porque teve um pesadelo?”
Ele a acariciou como se estivesse confortando uma criança pequena.
Fuka: (Eu tenho certeza que me sentirei melhor se eu falar isso.)
Fuka: (Então eu vou dizer--)
Fuka: “...Eu pareço com alguém?”
Caramia parou suas carícias e levou as mãos para o peito. Ele estava claramente nervoso.
Caramia: “Signorina, onde foi que você....O Kyrie te contou?”
Fuka: “Não...”
Caramia: “...Não me diga que você ouviu nossa conversa?”
Fuka: “..............”
Caramia: “Entendo....Você poderia, hum, parar de fazer isso?”
Caramia: “Aquilo era algo destinado somente para os ouvidos do Kyrie. Eu teria te contado se eu quisesse que você ouvisse.”
Fuka: “....Então porque não me contou?”
Caramia: “Bem....”
Fuka: “Você está me usando como um tipo de substituta para outra pessoa?”
Caramia: “...Eu tenho certeza que você tem algumas coisas que prefere manter pra você mesma. Bem, eu tenho algumas coisas desse tipo também. Eu não posso revelar tudo só porque estamos em um relacionamento. Eu simplesmente não....”
Fuka: “Você está me usando...?”




(Cenário: Quarto do Caramia)

Caramia: “Oh não, ela me perguntou sobre isso...”
Caramia: “Ela espiou, mas....eu também sou o único que disse uma coisa que não queria que fosse ouvida em primeiro lugar.”
Caramia: “Eu só coloquei a culpa nela e sai.....eu fugi. Eu sou patético.”
Caramia: “Eu tenho que conversar com ela e passar isso a limpo logo. Eu sei que preciso, mas....”




(Cenário: Sala)

Fuka: “Como as coisas terminaram desse jeito?”
Fuka: “....Porque eu fui falar sobre isso?”
Era só uma coisa pequena. Uma pequena pergunta. Uma pequena rachadura que abriu um buraco no seu coração. Era sufocante.
Fuka: (Eu não conversei realmente com o Sr. Caramia desde então.)
Fuka: (Talvez eu deva pedir desculpas....)
Mas pelo que ela deveria se desculpar? Ter ouvido a conversa?
Mesmo que fosse se desculpar por isso, ela não seria capaz de apagar o que ouviu. Iria simplesmente continuar a perturbando.
Fuka: (...O que devo fazer?)
No momento em que ela soltou um grande suspiro, ela sentiu uma mão tocar seu ombro.
Kyrie: “Mulheres parecem tão lindas quando estão se preocupando com algo. Eu não posso dizer que desaprovo a maneira com que seu rosto parece nesse momento.”
Fuka: “Sr. Kyrie....”
Kyrie: “Qual é o problema? Seu estômago está irritado?”
Fuka: “Não. Eu até comi muito essa manhã....”
Kyrie: “Agora que você mencionou isso, você estava enchendo a cara com comida como se estivesse em algum tipo de estresse compulsivo. Bem, qual é o problema?”

Opções:
1- Pedir conselho pra ele.(escolhida) 
2- Pensar um pouco mais sobre isso.


Fuka: (...Talvez o Sr. Kyrie possa me dar algum conselho.)

“Eu tenho que conversar com ele e passar isso a limpo logo. Eu sei que preciso, mas....”

Mas ela concluiu que não seria capaz de resolver isso sozinha.

Com isso em mente, ela começou a contar tudo pra ele.




(Cenário: Sala)


Kyrie: “Entendo. Então era isso.”

Kyrie ouviu tudo o que Fuka tinha a dizer. Parecia que esse seria uma longa conversa, então ele pegou seu chá de novo.

Mas o conteúdo da sua xícara já estava frio.

Kyrie: “Há uma mulher por quem Caramia foi obcecado durante anos.”
Fuka: “Huh...”
Kyrie: “Havia uma mulher conosco a muito, muito tempo atrás. Ele não pôde esquecê-la....É patético e bobo, não acha?”
Kyrie: “Se você for esquecer de algo, esqueça completamente. Essa coisa de memória vaga, parcial....é frustrante.”
Fuka: “Sr. Kyrie....?”
Kyrie: “Oh, minhas desculpas. Isso não tem nada a ver com essa conversa. É só uma implicância minha.”
Kyrie: “Todos tem um primeiro amor. Mesmo que Caramia seja o seu primeiro, você não é a primeira dele.”
Kyrie: “Só aconteceu de você ter algumas qualidades que são semelhantes a alguém do passado dele. Isso é tudo.”




(Cenário: Escritório)

Caramia: “Hey, Kyrie, qual a melhor forma de se lembrar de algo que você não recorda.”
Kyrie: “Bem, você pode tentar colocar uma arma na sua testa e puxar o gatilho. Você não precisaria mais se preocupar em lembrar. Isso não faria sua vida mais fácil?”
Caramia: “Isso não vai resolver nada....Ahh...Eu odeio esse sentimento.”
Kyrie: “Você não pode considerar o seu esquecimento como uma qualidade positiva? Eu certamente desejaria ter a habilidade de esquecer verdades inconvenientes.”
Caramia: “Não tem nada bom sobre isso. Não é nem mesmo uma habilidade, quanto mais útil. Droga, tudo que eu sei é que é alguma coisa importante....”
Kyrie: “...Talvez você se esqueceu porque não era terrivelmente importante afinal de contas.”
Caramia: “Que?”
Kyrie: “Oh, nada, só murmúrios de um velho espantalho bobo. Por favor, não dê atenção pra mim.”





(Cenário: Sala)

Fuka: (Tem alguém que o Sr. Caramia foi obcecado há anos...)
Ela não podia tirar as palavras do Kyrie da cabeça.
Elas ecoavam em seus pensamentos pela manhã, tarde e noite.
Eram como se fossem algemas, prendendo ela no lugar enquanto a distância entre ela e Caramia continuava crescendo lentamente, mas constantemente.
Ela era incapaz de se libertar dessas amarras sozinha, apesar de ela estar ciente delas. Ela simplesmente se conformou enquanto os dias continuavam passando.
Axel: “...É sua vez na próxima.”
Fuka: “Huh?”
Axel: “Poker. ....Você se esqueceu que nós estávamos jogando?”
Fuka: “Oh. D-Desculpa.”
Fuka: “...Eu vou passar.”
Axel: “Eu também. Isso encerra a rodada.”
Fuka: “....Eu tenho um par. E você?”
Axel: “O mesmo. ....Eu achei que você não tinha nada.”
Fuka: “O mesmo aqui. Oh bem.”
Axel: “Sim. Bem, eu não vou perder da próxima vez.”
Caramia: “Ah...Que, você está saindo com Axel hoje?”
Fuka: “Oh.....”
Caramia dirigiu-se a eles em seu caminho para pegar uma bebida.
Fuka: (Eu sinto como se eu não tivesse ouvido a voz do Sr. Caramia há anos...)
Tão instável quanto seus sentimentos poderiam ter sido, ela ainda assim estava feliz em ouvi-lo falar com ela. Ela se sentou reta e alta, forçando seus sentimentos de lado enquanto desesperadamente reunia as palavras.
Fuka: “E-Eu estou tentando vingar nossa derrota no jogo de cartas da outra noite.”
Axel: “Gostaria de se juntar a nós, senhor?”
Caramia: “Eu acho que vou passar. Eu tenho uma pilha de trabalho esperando por mim no escritório.”
Caramia: “Boa noite, Fuka. Ficar acordada até tarde é ruim pra sua saúde, então não se deixe levar, okay?”
Fuka: “O-Okay....”
Fuka: (...Haa.)



(Cenário: Escritório)

Axel: “Senhor, posso ter um momento do seu tempo?”
Caramia: “Que? Aconteceu alguma coisa?”
Axel: “Sim....pelo menos, eu acho que sim....entretando, eu não tenho certeza.”
Axel: “Você brigou com a Fuka ou algo assim?”
Caramia: “...Ela conversou com você sobre isso?”
Axel: “Não, eu só tive o pressentimento. Vocês dois parecem estar agindo um pouco diferente...”
Axel: “O que eu supostamente devo dizer nesse tipo de situação....? Eu realmente não acho que seja algo que eu possa resolver.”
Axel: “...Mas ver vocês dois desse jeito me machuca. Eu....eu só desejo que vocês possam voltar a maneira que eram antes.”
Axel: “Isso é tudo que eu queria dizer. ....Se me der licença.”
Caramia: “Ele só disse sua parte e saiu. ....Eu acho que faz sentido para Axel estar preocupado.”
Caramia: “Eu também não gosto da idéia de deixar as coisas desajeitadas como elas estão agora....eu sinto isso mais intensamente do que qualquer um.”




(Cenário: Quarto da Fuka)

Kyrie: “Srta. Fuka, você está aí?”
Fuka: “Sr. Kyrie....?”




(Cenário: Frente da casa da Fuka)

Kyrie: “Então, você está aqui afinal de contas.”
Kyrie: “Você certamente tem passado muito tempo no seu quarto ultimamente. O que diabos você está fazendo aqui?”
Kyrie: “A noção de alguém, para quem a coisa mais próxima de um trabalho é lavar a roupa, se tornar uma reclusa, não é particularmente engraçado.”
Kyrie: “Então, você gostaria de se juntar a mim em um passeio?”
Fuka: “Me juntar a você?”
Kyrie: “De fato. Eu te dou até uma gorjeta se você carregar minhas sacolas.”
Fuka: “Oh, então é isso que você procura?”

Opções:
1- Okay.(escolhida) 
2- Eu não sei sobre isso....


Fuka: (Não é como se eu tivesse alguma coisa pra fazer aqui....)

Fuka: (Estou me sentindo um pouco pra baixo de qualquer maneira...Porque não?)

Fuka: “Okay, eu vou com você.”

Kyrie: “Você tem meu agradecimento. Estou muito feliz por você ter aceitado.”




(Cenário: Lojas)

Kyrie: “Próximo, nós vamos por esse caminho. ....Oh, não, aquele caminho talvez?”
Fuka: “Sr. Kyrie.”
Kyrie: “Mas eu odiaria ter que pular aquela parada. Já sei, nós vamos ali.”
Fuka: “Com licença, Sr. Kyrie!”
Kyrie: “O que foi, Srta. Fuka?”
Fuka: “Minhas mãos estão completamente cheias. Eu não posso carregar mais que isso.”
Kyrie: “Oh, ora, isso não é verdade. Esses são itens bem leves.”
Fuka: “Ele podem ser leves, mas eu não posso exatamente segurar mais de um cone de sorvete por mão.”
Fuka: “Poderia esperar até nós terminarmos de comer esses?”
Kyrie: “Hm, não tenho certeza se posso fazer isso.”
Kyrie: “Eu sou um comedor leve, afinal de contas. Eu raramente consumo tudo que eu compro.”
Fuka: “Então porque está comprando tudo isso?”
Kyrie: “Porque hoje é o último dia do evento do sorvete.”
Kyrie: “Todas as sorveterias daqui e ao redor da cidade se reúnem para determinar quem tem o melhor produto. Seria um erro grave não participar.”
Kyrie: “Se fosse só uma questão de capacidade do estômago, Axel provavelmente seria uma escolha melhor como acompanhante, mas eu preferia morrer do que passar o dia sozinho com outro homem tomando sorvete...”
Kyrie: “Então, por que não testamos a capacidade limite do seu estômago?”
Fuka: “M-Mas por quê?!”
Kyrie: “Não precisa ficar irritada. Agora, coma.”
Ele empurrou o cone de sorvete cremoso pra dentro da boca dela.
Fuka: “Ngh, mmngh...”
Kyrie: “Heh, você está indo muito bem, mesmo com as duas mãos cheias.”
Kyrie: “...E agora eu tenho outra mão livre. Agora, vamos comprar mais alguma coisa.”
Fuka: “Ah, por favor espere por mim, Sr. Kyrie!”




(Cenário: Lojas)

Kyrie: “Então, isso não é uma boa mudança de ritmo?”
Fuka: “Eu estou completamente exausta, mas...sim, obrigada.”
Fuka: “Eu não tenho dado risada e gritado tanto há anos. Foi muito divertido.”
Kyrie estreitou os olhos, satisfeito com sua resposta.
Kyrie: “Você conseguiu esquecer Caramia mesmo por um momento?”
Fuka: “Bem....”
Kyrie: “Me desculpa, essa foi uma pergunta carregada. É um péssimo hábito meu. Eu simplesmente amo a cara que você faz quando está desconfortável.”
Fuka: “Oh, Sr. Kyrie....você realmente é um malvado.”
Kyrie: “Talvez eu seja, mas não é tão ruim, é? Se nada mais, eu gostei de passar o tempo com você, e eu gostaria que você tivesse se sentido da mesma maneira.”
Fuka: “Por que você está sendo tão legal comigo?”
Kyrie: “Isso não é óbvio? Você é uma querida hóspede da família Oz, afinal de contas.”
Kyrie: “Oh...Talvez eu devesse dizer que você ‘era’ uma hóspede. Você é a namorada do nosso don agora. De qualquer maneira, você é muito importante para nós.”
Kyrie: “E você é uma pessoa.....bastante especial na minha opinião.”



(Cenário: Lojas)


Caramia: (Tenho certeza que todos já pegaram o que o Axel falou.)
Caramia: (Eu não posso deixar as coisas assim pra sempre. Eu tenho que me desculpar. Eu não tenho certeza se vai ser tão fácil resolver, mas... Eu vou curvar minha cabeça quantas vezes for preciso.)
Caramia: “...Aquela é a signorina? Hora perfeita, agora eu posso—“
Caramia: (...Kyrie? Por que o Kyrie e a signorina....)



(Cenário: Frente da casa da Fuka)

Fuka: “Obrigada por hoje, e obrigada por me acompanhar até minha casa...”
Kyrie: “Bom, está bem tarde. Eu odiaria se alguma coisa acontecesse com você em seu caminho de volta.”
Fuka: “O chalé não é tão longe da casa principal. Você é tão preocupado.”
Fuka: “Deixe-me retribuir algum dia.”
Kyrie: “Me retribuir? Bem, por que você não me retribui agora ao invés de ‘algum dia’...?”
Fuka: “...........!”
Kyrie: “Para você ter ficado vermelha por um simples beijo na testa, você deve ter um relacionamento bem infantil com o Caramia.”
Kyrie: “...Hey, Srta. Fuka, você não consideraria largar aquele desajeitado do Caramia e investir em mim ao invés disso.”
Fuka: “Huh?”
Kyrie: “Eu gosto muito de você. Você não é particularmente desinteressada em mim, não é?”
Kyrie: “Eu não posso dizer que minha história romântica seja particularmente limpa, mas eu posso te garantir que não vou te usar como uma substituta pra alguma garota do passado como o Caramia. Eu juro que vou te valorizar.”
Fuka: “Mas....Você está brincando, certo?”
Kyrie: “Eu estou? Boa noite e bons sonhos.”
Fuka: “O-Okay. Boa noite...Sr. Kyrie.”


(Cenário: Quarto da Fuka)

Fuka: (Oh, esse é o lenço do Sr. Kyrie..... eu esqueci de devolver pra ele.)
Fuka: “Talvez eu deva devolver a ele amanhã....”
Fuka: (Oh, talvez--!)




(Cenário: Frente da casa da Fuka)

Fuka: “Sr. Kyr--!”
Caramia: “...O que tem o Kyrie?”
Fuka: “Sr. Caramia....”
Caramia: “Eu tenho uma coisa sobre a qual eu gostaria de falar com você. Posso entrar no seu quarto?”
Fuka: “Uma coisa pra falar comigo....”


(Cenário: Quarto da Fuka)

Caramia: “...Você prefere o Kyrie a mim?”
Fuka: “Huh...?”
Caramia: “Vocês saíram juntos hoje, não foi? Vocês voltaram tarde o suficiente para ter jantado.”
Fuka: “Bem....”
Caramia: “Eu sei que não posso te forçar a olhar só pra mim. Eu sei que não posso ficar com você quando tenho que trabalhar, mas você não poderia ao menos me contar quando for sair com outro homem?”
Fuka: “....Mesmo se eu tivesse tentado te contar, você teria me ignorado.”
Fuka: “Sabe, eu também tenho uma coisa pra te falar. Eu queria conversar com você....mas você não falava comigo. Eu esperei e esperei e você nem mesmo disse uma palavra pra mim....realmente doeu.”
Fuka: “Mas o Kyrie explicou pra mim. Ele me disse que existiu uma pessoa que você realmente se importava e que você estava fingindo que eu era ela.”
Caramia: “Ngh!”
Fuka: “Deve ser difícil sair e dizer isso...mas, eu—“
Caramia: “Aquele desgraçado...!”
Fuka: “Sr. Caramia!?”




(Cenário: Sala)

Caramia: “Kyrie!”
Kyrie: “O que é toda essa agitação?”
Caramia: “Não se faça de burro. Como ousa dizer aquilo pra Fuka...?”
Kyrie: “O que eu disse para a Srta. Fuka...? Oh, você quer dizer sobre você? Eu simplesmente falei a verdade. Não tem razão pra me tratar desse jeito.”
Kyrie: “Quem mais poderia ter me dito que foi atraído por ela por causa do cheiro familiar a não ser você, Caramia? Estou enganado?”
Caramia: “Aquilo foi só pra você ouvir. A signorina não tem nada a ver com isso.”
Kyrie: “Que cruel excluí-la desse jeito....e pensar que ela foi atraída por você pelos seus próprios méritos.”
Kyrie: “Do jeito que você disse aquilo, você poderia também estar falando sobre uma prostituta. Seus sentimentos são assim tão superficiais?”
Caramia: “Como se atreve....!”
Fuka: “Sr. Caramia!”
Fuka: “Por favor não brigue!”
Caramia: “Não me pare, Fuka. Se ele não tivesse dito aquilo pra—“
Fuka: “Graças ao Sr. Kyrie, eu entendi o que está acontecendo.”
Fuka: “Eu não estou mais confusa, e é tudo por causa dele. Eu entendo por que alguém como você teria se sentido atraído por mim.”
Fuka: “Então....por favor não levante a mão contra o Sr. Kyrie.”
Kyrie: “Exatamente. Até mesmo nossa querida signorina concorda. Você poderia soltar meu colarinho agora?”
Caramia: “...Ngh.”
Caramia: “...Você deve agradecer a ela por te proteger.”
Fuka: “Sr. Caramia...”
Kyrie: “Que alívio. Eu estava quase pra ser comido por um animal selvagem raivoso.”
Fuka: “Bem, você estava tentando irritá-lo.”
Kyrie: “Por favor, não fique contra mim. Eu só estou desesperado para por as mãos em algo que eu quero.”
Fuka: “Algo que você quer?”
Kyrie: “Eu anunciei minhas intenções antes, não foi? Abandone Caramia e seja minha.”
Fuka: “Você não estava brincando...?”
Kyrie: “Eu estou bem sério. Eu gosto muito de você. Tanto que eu quero te roubar do Caramia.”
Kyrie: “Não existe lei ditando que você deve casar com o primeiro parceiro. Por favor, não esqueça isso.”




(Cenário: Quarto da Fuka)

Fuka: “............?”




(Cenário: Frente da casa da Fuka)

Caramia: “Me desculpe por estar vindo tão freqüentemente... eu não ficarei bravo ou nada do tipo. Eu vou até mesmo só falar através da porta. Apenas escute.”
Fuka: “................”
Caramia: “Eu não sei o que Kyrie te disse, mas.....é verdade que você se parece com alguém que eu sinto muita falta.”
Caramia: “Ela não foi uma pessoa que eu queria esquecer, mas minhas memórias estão nebulosas. A memória desse cheiro familiar é uma das únicas peças que eu tenho dela. Por alguma razão, quando estou com você....você apenas me lembra dela.”
Caramia: “Mas isso foi algo que eu só percebi recentemente. Não era algo que eu estava ciente quando nos encontramos a primeira vez, ou quando eu te disse como eu me sentia sobre você. Eu posso ter percebido isso, mas não era uma coisa que eu realmente prestava atenção.”
Caramia: “No máximo, é só outro motivo para eu gostar de você, no que me diz respeito...mas isso deve fazer você se sentir desconfortável.”
Caramia: “Foi difícil pra eu falar sobre...então eu não mencionei isso.”
Caramia: “Eu só queria que você soubesse disso. Eu não me apaixonei por você porque você me lembrava alguém. Eu amo você por quem você é.”
Caramia: “Meus sentimentos por você não mudaram, e não vão mudar.”
Caramia: “Mas você tem o direito de escolher, signorina. Eu não vou ser egoísta e te obrigar a ficar comigo.”
Caramia: “Eu quero que você decida como vai prosseguir.”



(Cenário: Quarto da Fuka)

Fuka: (...O que eu quero?)
Fuka: (Eu quero o Sr. Caramia ou o Sr. Kyrie...?)




(Cenário: Corredor)


Fuka: “...Sr. Kyrie, você está acordado?”

Kyrie: “Sim estou. Por favor, entre.”





(Cenário: Quarto do Kyrie)


Kyrie: “Se você está visitando o quarto de um homem sozinha tão tarde da noite, é correto assumir que as notícias são favoráveis?”

Fuka: “Hum, Eu...”

Fuka: “Eu quero você, Sr. Kyrie...”

Kyrie: “E qual seria o motivo disso? É por que eu fiz essa proposta pra você?”

Fuka: “Bem...”

Kyrie: “Está tendo dificuldades em explicar seus motivos? Bem, trocar de homem tão rápido é bem mal visto pela sociedade, afinal.”

Kyrie: “Mas o único que exige uma resposta é ninguém menos do que eu mesmo. Você não precisa se sentir culpada.”






**CG:





Kyrie: “Mas o único que exige uma resposta é ninguém menos do que eu mesmo. Você não precisa se sentir culpada.”

Kyrie: “...Se eu não aproveitar o que eu quero quando está ao meu alcance, eu vou perder essa oportunidade pra sempre. Não há motivos pra se arrepender depois.”

Kyrie: “Eu quero você. Eu te provoquei porque queria te roubar do Caramia. Eu tramei para incitar problemas e me dar vantagens.”

Fuka: “Você está dizendo que foi tudo de propósito?”

Kyrie: “De fato foi. Surpreendente, não? Você está aqui porque você descobriu.....você veio me visitar para cair em minhas garras.”

Kyrie: “....Beijos e sei lá mais o que, não são atos particularmente especiais. Corpos se unindo não é diferente de respirar. Não é nada mais do que um meio de dar vida às gerações futuras.”

Kyrie: “Mas por alguma razão, humanos procuram o amor....como resultado do tabu contra o sexo casual, as pessoas foram levadas a pensar que o ato da relação sexual é especial, é sagrado...”

Kyrie: “E por causa dessa crença, as pessoas passam pela vida sem conhecer o verdadeiro êxtase...”

Fuka: “...Ngh.”

Kyrie: “...Caramia não te contou nada sobre isso, não é? Parece que eu vou ter o prazer de ser o primeiro.”

(Notas de tradução: Na frase original, Kyrie fala uma gíria em inglês que tem como significado “ser o primeiro”. Então ao invés de traduzir a expressão ao pé da letra, eu já coloquei o significado pra ficar mais fácil de entender.)

Kyrie: “Oh, não tenha medo. Logo você será capaz de apreciar o quão bom isso é.”

Kyrie: “Cante o meu nome com a voz que você nunca deixou ninguém ouvir antes. Para o todo o sempre....”

(Comentário 'inútil' da tradutora: Eu sempre gostei muito da voz normal do Kyrie....mas nessa parte do diálogo ele ta de parabéns! Que voz! Acabou comigo...kkkk 😍)






(Cenário: Quarto do Kyrie)


Fuka: “N-Nn...”

Kyrie: “Bom dia. Você dormiu bem profundamente, Srta. Fuka.”

Fuka: “Sr. Kyrie...esse é seu quarto...?”

Kyrie: “Sim, é. Você não esqueceu o que nós fizemos nessa cama noite passada, esqueceu?”

Fuka: “...Nn.”

Kyrie: “Apenas tenha certeza de se lembrar. Não precisa listar cada ato individual.”

Kyrie: “Como já é de manhã, você se importaria de se levantar também? Oh, ou....você está tentando me dizer que quer uma continuação da noite passada?”

Fuka: “N-Não. Estou me levantando!”







(Cenário: Cozinha)


Caramia: “Signorina...”

Fuka: “Sr. Caramia.”

Caramia: “Oh....Hum, bem, Kyrie me contou, então você não precisa dizer nada.”

Caramia: “....Fui eu que desisti de você afinal de contas, então eu não tenho direito de desaprovar. Não se preocupe.”

Caramia: “Nosso relacionamento pode ter acabado, mas ainda somos don e convidada. Vamos ser amigos, okay?”

Fuka: “O-Okay.”

Caramia: “Bom...haha, é melhor o Kyrie te fazer feliz, já que você rejeitou um cara tão legal por ele.”

(Comentário 'inútil' da tradutora: Ai....que situação horrível. Meu coração ta pesado.😟)

Caramia: “Estou aqui se precisar de alguém pra conversar. Eu posso gritar com ele como don se ele fizer algo que você não goste.”

Fuka: “...Obrigada!”







(Cenário: Cassino)


Fuka: “Me desculpa, eu perdi de novo....”

Kyrie: “Oh, eu não me importo. Eu só preciso ganhar novamente. Então agora, coma mais salgadinhos.”

Fuka: “Eu não acho que eu realmente tenho cabeça para jogos de azar...”

Kyrie: “De fato, você não tem.”

Fuka: “...Então você concorda?”

Kyrie: “Naturalmente. Eu posso dizer exatamente o que você tem na mão só de olhar para o seu rosto. Seus instintos e técnicas são inexistentes. Qualquer jogador te acharia um alvo fácil.”

Fuka: “V-Verdade?....Talvez eu deva desistir enquanto posso. Eu vou só acabar com esses salgadinhos.    
       
Kyrie: “Oh não, por favor continue. Pelo meu bem.”

Fuka: “Pelo seu bem?”

Kyrie: “Sim. Eu amo ver você ficar decepcionada.”

Fuka: “Sr. Kyrie.....você me trouxe aqui sabendo que eu perderia?”

Kyrie: “Você finalmente percebeu? Sim, eu te convidei porque queria ver você perder. Eu não tinha a menor expectativa de você ganhar, então por favor, não tenha pressa e aproveite o cassino.”


Opções:

1- Vá em frente. (escolhida) 
2- Desistir.



Fuka: “...Eu vou dar minha alma nisso.”

Kyrie: “Huh?”

Fuka: “Me incomoda ouvir você dizer que não tem expectativas.”

Kyrie: “Verdade? Bem, não tente demais.”

Kyrie: “Eu mal posso esperar pra te ver curvada no chão, com seu espírito arrasado. Eu não tenho intenção de te carregar pra casa também.”

Fuka: “Ngh...eu vou vencer!”





(Cenário: Cassino)


Fuka: “Oba, eu consegui!”

Kyrie: “Não acredito....”

Fuka: “Sr. Kyrie, essa é uma mão incrível, não é?”

Kyrie: “S-Sim....é um Royal Flush. As probabilidades contra uma mão assim são de 649,739 para....Srta. Fuka, você tem certeza que não usou algum tipo de truque?”

(Notas de tradução: Royal Flush é uma jogada do poker que tem as seqüências de Ás, Rei, Dama, Valete e Dez do mesmo naipe. Dizem que essa jogada é uma mão imbatível. Pode-se perceber que nos diálogos eles se referem às jogadas de poker como ‘mão’.) 

Fuka: “Truque?”

Fuka: “Hum, eu tinha cinco cartas, e então descartei quatro, e então....”

Kyrie: “Ahh, já chega. Isso é tudo que eu precisava ouvir....É dolorosamente claro que você não fez nada.”

Kyrie: “Eu raramente consigo essa mão. A sorte de principiante é algo para se contemplar.”




(Cenário: Quarto do Kyrie)


Fuka: “Com licença.”

Kyrie: “Por favor, relaxe.”

Fuka: “Humm, sobre o que você queria conversar?”

Kyrie: “O que você acha que eu quero conversar?”


Opções:

1- Alguma coisa triste
2- Alguma coisa alegre (escolhida) 



Fuka: “Alguma coisa alegre?”

Kyrie: “...Como?”

Fuka: “Como, hum...ummmm...”

Fuka: “Oh, como planos para um encontro?”

Kyrie: “Se esse fosse o caso, eu não teria trazido você para o meu quarto.”

Fuka: “Oh, sim....Hm, então o que poderia ser...?”

Kyrie sorriu propositalmente, enquanto caminhava mais para dentro do quarto.

Kyrie: “...Você realmente tem certeza de que quer ficar comigo?”

Fuka: “Huh?”

Kyrie sussurrou enquanto pendurava seu chapéu na chapeleira.

O olhar que ele lançou pra ela pelo espelho, quase parecia que ele a estava provocando.

Kyrie: “Eu estou te perguntando se você tem certeza de que quer estar em um relacionamento romântico comigo.”

Ele tirou a jaqueta e desfez sua gravata.

Ele continuou pressionando ela enquanto afrouxava o colarinho da camisa com os dedos.

Fuka: “...Bem, e quanto a você? Você tem certeza que quer ficar comigo?”

Ele se virou e sorriu antes de ir em direção a ela e envolver seus braços ao redor dela por trás.

Kyrie: “Sou eu quem faz as perguntas ....não é mais do que óbvio que eu quero ficar com você? Foi por isso que eu te roubei.”

Ele cobriu os olhos dela com suas mãos enluvadas.

Kyrie: “Sim...eu te roubei. Você deveria estar feliz daquela vez, mas eu te surpreendi por trás e cobri seus olhos, sussurrando para que você viesse até mim.”

Kyrie: “Eu achei que o pensamento de deixar alguém seria horrível pra você....então, eu provoquei coisas. Eu não havia pensado muito nisso quando finalmente coloquei minhas mãos em você, mas ultimamente tem pesado em mim profundamente.”

Ele tirou as mãos dos olhos dela e as moveu em direção à sua cintura. Ele inclinou a cabeça para o lado enquanto olhava para o reflexo deles no espelho.

Kyrie: “....Então o que você acha? Eu sou homem suficiente pra você?”


Opções:

1- Você é bom o suficiente para mim. (escolhida) 
2- Você é bom demais pra mim.



Fuka: “...Não se preocupe, você é bom o suficiente pra mim.”

Kyrie: “Oh, entendo....”

Kyrie: “Você é masoquista ou algo assim?”

Fuka: “O-O que faz você dizer isso?”

Kyrie: “Quero dizer, certamente não é normal pensar isso de mim.”

Kyrie: “...Então novamente, talvez nós dois nos apaixonamos porque nenhum de nós é normal.”

Kyrie: “De qualquer forma, estou feliz por ter perguntado como você se sentia. Estou aliviado que queira ficar comigo.”

Fuka: “Então até você tem coisas com que se preocupa, huh, Sr. Kyrie?”

Kyrie: “Isso é errado?”

Fuka: “Oh não, eu acho que é maravilhoso e humano de você.”

Kyrie: “Humano, huh...Bem, eu acho que essa pergunta não é o tipo de coisa que se esperaria de mim normalmente.”

Kyrie: “Mas você é a única. A única pra quem eu disse algo assim, ou revelei esse meu lado....eu só poderia revelar esse meu lado uma vez que eu decidisse que não iria te deixar.”

Kyrie: “Todo seu corpo e alma pertencem a mim. Eu não tenho intenção de te deixar, então tenha certeza de se lembrar que não há motivos pra fugir.”

Fuka: “Eu não ia fugir de qualquer forma.”

Kyrie: “Eu não tenho tanta certeza disso. Ninguém pode saber o futuro....ninguém pode garantir que não vai desaparecer.”

Ele lançou um sorriso maligno e disse, ‘Eu sou bem adepto em gastar minhas boas vindas’.

Kyrie: “Entretanto...pode ser uma mera promessa verbal, mas o sentimento me faz muito feliz. Obrigado, Srta. Fuka.”





**CG:






Fuka: “...Tem algo que eu fico imaginando. Você se importa se eu perguntar tão diretamente?”

Kyrie: “Diretamente, huh....Certamente, por favor, vá em frente.”

Fuka: “Hm...Seus olhos são de cores diferentes, não são?”

Fuka: “Você está sempre escondendo isso, então eu não percebi. Mas o seu olho direito é verde, e –“

Fuka: “...Huh? Não, espera, roxo...?”

Kyrie: “Oh, ele está roxo agora?”

Fuka: “Agora?”

Kyrie: “Esse olho muda de cor dependendo da situação.”

Fuka: “Oh, verdade?! Eu não sabia....”

Kyrie: “Bem, eu nunca mencionei isso, e eu normalmente escondo isso. É meio que uma longa história, mas você se importa de ouvi-la?”

Fuka: “Sim, por favor.”

Kyrie: “Obrigado....A muito tempo atrás, eu não era humano. Eu era um espantalho.”

Fuka: “Um espantalho?”

Kyrie: “De fato. Eu era um espantalho sem cérebro e um corpo preenchido com palha. Eu fui feito por um homem velho, dentro de um celeiro próximo a uma grande fazenda.”

Kyrie: “Eu fui amarrado com uma corda e minha cabeça coberta por roupas. Meus olhos foram pintados de azul céu, e meu nariz e meu sorriso foram desenhados com carvão. Eu era tudo isso.”

Kyrie: “O velho fazendeiro colocou roupas no meu corpo, luvas em minhas mãos, e um chapéu na minha cabeça...o chapéu não estava direito.”

Kyrie: “Estava torto, então não protegia meu olho direito da chuva. Toda vez que a água lavava meu olho, o velho homem fazendeiro pintava novamente.”

Kyrie: “Talvez ele tenha ficado sem tinta azul, ou talvez fosse simplesmente capricho, mas toda vez ele pintava de cor diferente. Se eu apenas pudesse aconselhá-lo a arrumar meu chapéu.  Naquele tempo, eu era um idiota e não pensava em nada das suas ações.”

Kyrie: “O velho fazendeiro se importava comigo e pintava meu olho de volta para o meu bem. Só isso era o suficiente para me deixar estupidamente feliz.”

Fuka: “É difícil imaginar você agindo dessa maneira.”

Kyrie: “Você não tem que imaginar isso. ...De qualquer forma, meus olhos trocarem de cor é um remanescente do tempo em que fui um espantalho.”

Kyrie: “Eu não me importaria tanto se fosse simplesmente uma cor diferente. O verdadeiro problema é que ele muda dependendo do meu humor. É azul quando estou triste, amarelo quando estou feliz...e assim vai.”

Kyrie: “É por isso que eu o escondo com meu cabelo. Eu não poderia viver minha vida com meus sentimentos expostos na minha cara desse jeito.”

Fuka: “Verdade?”

Fuka: “Eu nunca soube o que você estava pensando, então achei que seria legal ser capaz de saber um pouco....ou alguma coisa assim.”

Kyrie: “Isso não é necessário. Quando eu quiser que você saiba como estou me sentindo, eu irei te dizer diretamente com minha própria boca. Mais importante, eu não posso servir como consigliere se minhas emoções aparecerem no meu rosto o tempo todo.”

Kyrie: “...Esse é um segredo só entre nós dois. Você não deve nunca contar pra outra alma, entendeu?”

Fuka: “Eu entendi. Eu não vou contar pra ninguém.”

Fuka: “Oh, a propósito, que sentimento a cor roxa indica?”

Kyrie: “Agora....isso é um segredo. Por que não adivinha? É claro que, eu não vou te dizer se você está certa.”

Fuka: “Oh, você é tão malvado, Sr. Kyrie.”

Kyrie: “De onde veio isso tão de repente? Não é como se eu tivesse acabado de começar a ser malvado. Agora, por que você não adivinha? O que eu estou pensando...? Que tipo de sentimentos sobre você eu estou guardando nesse momento?”





(Cenário: Praça da Torre)


Kyrie: “...Srta. Fuka, por favor, ande desse lado.”

Kyrie pegou a mão da Fuka e a conduziu para caminhar ao lado da parede. Ele sorriu gentilmente quando ela olhou pra ele, confusa.

Kyrie: “Nós estamos em um encontro, então eu gostaria de evitar qualquer problema em potencial.”

Fuka: “Problema em potencial...?”

No momento que ela respondeu, houve uma explosão.

Ele a segurou perto com um braço, protegendo-a com seu corpo enquanto abaixava o chapéu para cobrir seu rosto.

Kyrie: “...Esse tipo de coisa. Vê? Olha ali.”





(Cenário: Caos)


Ande: “Maravilha te encontrar aqui! Hoje, eu vou te derrotar!”

Gretel: “Nós nos encontramos ontem. Você não se lembra? Seu cérebro é comida de bebê também, bebê?”

Ande: “Bebê!? Grrrrr, como ousa! Eu vou te fazer chorar!”

Gretel: “Essa ameaça tem quase zero de credibilidade.”

Ande: “Cala a boca! Cala a booooooooca! Vai, Aelling!! Acaba com a Gretel!”

Aelling: “Uh...mas você não disse que era pra eu ir atrás do Hansel mais cedo...?”

Hansel: “Sim, nós estávamos quase começando a diversão.”

Ande: “Hmm..Melisus.”

Melisus: “Muito bem, eu devo te ajudar.”

Gretel: “Hmph. O bebê e o vovô. Que combo perfeito.”

Ande: “Grrrrrrr! Não me chame de bebê!!!”





(Cenário: Praça da Torre)


Fuka: “Isso é....”

Kyrie: “Uma disputa entre a família Grimm e Anderson. Como você deve ter percebido pela conversa deles, é uma briga ridícula, infantil, mas...”

Kyrie: “....Eles estão usando dinamites e granadas. Você não pode exatamente descrever esses itens como brinquedos. Não há nada para se ganhar ao se envolver. Vamos pegar outro caminho para evitá-los.”

Fuka: “..............”

Kyrie: “Srta. Fuka, por que você parou? Não há nada de interessante para ver aqui.”

Fuka: “Não tem nenhuma maneira de parar a briga deles?”

Kyrie: “Uma maneira de parar a briga deles....?”

Fuka: “Sim. Alguma maneira de resolver o problema deles sem quebrar coisas ou machucar alguém.”

Fuka: “Talvez possa não ter paz, mas....com certeza há outros meios de resolver suas diferenças.”

Kyrie: “Como por exemplo?”


Opções:

1- Confiscar as armas deles.
2- Negociações de paz. (escolhida) 



Fuka: “Como negociações de paz ou algo assim.”

Kyrie: “Paz, huh....”

Fuka: “Ensiná-los como cuidar um do outro e como é maravilhoso valorizar a vida.”

Kyrie: “Bem, talvez....mas isso seria bem difícil pra mim.”

Fuka: “Por que?”

Kyrie: “Eu gosto de machucar as pessoas, e tenho declarado isso. Não tenho a certeza de que as mais lindas palavras sobre o assunto tenham credibilidade vindas de mim.”

Fuka: “O-Oh, bem, isso é bem ruim...”

Kyrie: “...Suas idéias podem ser válidas, mas.....um método para parar a briga, hm...”

(Notas de traduçãoaqui novamente o Kyrie usa uma expressão; ‘hold much water’; que é uma gíria em inglês e não tem sentido a tradução literal para o português. Então, eu coloquei no diálogo o seu significado, que é ‘um argumento ser válido, verdadeiro’.)

Fuka: “Existe algum?”

Kyrie: “...Uma pergunta muito boa. Eu acredito que seja insustentável nessa atual situação.”

Fuka: “Insustentável....até mesmo pra você?”

Kyrie: “De fato. Mesmo se eu fosse fazer uma proposta, eles não são do tipo de aceitá-la. É mais fácil apenas permitir que eles façam o que quiserem, desde que não causem danos mais sérios.”

Kyrie: “Não é tão ruim também. Eles estão sempre nos pagando os reparos, já que eles sempre danificam as coisas dentro do nosso território.”

Fuka: “Oh, Sr. Kyrie....”





(Cenário: Escritório)


Caramia: “Kyrie, você ouviu sobre pessoas de outras famílias causando problemas pela cidade hoje?”

Kyrie: “De fato.Os Grimms e Andersons, correto? Eu sei porque aconteceu de eu estar na vizinhança.”

Caramia: “Sério? Você não está ferido, está?”

Kyrie: “Eu estou parado bem na sua frente, não estou? Srta. Fuka está a salvo também.”

Caramia: “Oh....Que, você saiu com ela?”

Kyrie: “Isso é um problema?”

Caramia: “Não. Não é estranho para um casal fazer isso...É bem normal.”

Kyrie: “O que foi isso? Quase parece que você está sugerindo que eu não me qualifico como ‘normal’.”

Caramia: “Bem, é verdade. Você é a pessoa mais estranha na nossa família. É só....surpreendente que você consiga fazer isso.”

Kyrie: “O que quer dizer com isso?”

Caramia: “Tirar um tempo para outra pessoa e passá-lo com ela. Talvez se fosse um domingo, mas você não parece o tipo de pessoa que sai para o cassino durante o dia no meio da semana. E procrastinar no trabalho desse jeito também.”

Caramia: “É simplesmente estranho. Normalmente você está me empurrando para fazer as coisas para que você possa ir pra cama. Eu não quero reclamar com você sobre ter deixado de lado todo esse trabalho para se divertir, então por que eu apenas não tomo conta disso tudo?”

Caramia: “Sabe, você consegue ser bem fofo algumas vezes...mas só algumas vezes.”

Kyrie: “Eu acho esse termo completamente desagradável.”

Caramia: “Mas não posso evitar. Você realmente é fofo. ...Eu não posso esquecer como você era antes de começar a namorar a signorina, mas se é isso que ela faz com você, talvez seja uma coisa boa.”

Kyrie: “...Mova suas mãos, não sua boca, leão idiota.”   
       
Caramia: “Sim, sim, entendido, Sr. Espantalho.”

(Comentário 'inútil' da tradutora: Kyrie vermelhinho de vergonha.....realmente é fofo! Concordo com o Caramia Kkkk 😁)




**Continua na parte 2**

**Depois da tela de transição amarela**













Leia Mais ►