domingo, 22 de abril de 2018

Masamune Date - Capítulo 3



 Ao final desse capítulo tem a tradução da carta que você recebe dele 




❖ Parte 1 



Depois de termos caído no lago—

Com os cavalos que os vassalos do Masamune trouxeram, nós cavalgamos de volta para Azuchi. Nós andamos o restante do caminho até os portões do castelo.

(O que eu devo fazer sobre o beijo?)

Meus sentimentos sobre isso estavam em um fluxo constante.

Masamune: “Tudo bem, MC?”

(Foi algo único, certo? Quer dizer, o clima estava legal, mas isso não significa nada. Eu quero que seja isso?)

Masamune: “Você está ouvindo?”

MC: “Wow!”

Eu percebi que o Masamune havia parado e estava olhando diretamente pra mim.

MC: “Ouvindo o que?”

Masamune: “É, você não estava ouvindo.”

Masamune colocou o braço no meu ombro.

MC: “Estou ouvindo agora.”

Era mentira. Minha atenção estava se desviando de novo, tão perto daqueles lábios tão bons, tão beijáveis.

Masamune: “Eu vou explicar ao Lorde Nobunaga sobre hoje.”

Masamune: “Você apenas volte para o seu quarto, se troque para alguma coisa quente, e descanse.”

Masamune: “Seus lábios estão azuis.”

(Então acho que eles combinam com os seus. Oh, o que eu estou pensando!?)

Masamune tocou meus lábios. Seu dedo indicador apertou suavemente meu lábio inferior enquanto ele o acariciava.

(Isso não está me ajudando a esquecer o beijo.)

<Lembrança>

Masamune: MC, sorria mais.”

Masamune: “Você tem um sorriso maravilhoso.”

<Fim da lembrança>


Opções:

1- “Estou bem.”
2- “Não faça isso.”
3- “O que você está pensando?” (escolhida) 


MC: “O que você está pensando?”

Masamune: “Estou pensando que você está com frio.”

MC: “Não, eu quero dizer sobre antes. Quando nós—“

Masamune: “Quando nós o que?”

Masamune olhou pra mim curioso.

(Ele não é assim tão ingênuo, é? Ou ele está brincando comigo de novo?)

MC: “Não, esquece.”

Masamune: “Parecia importante, mas já que você diz.”

Ele riu divertidamente. Novamente, eu não tenho idéia do que ele está pensando de verdade.

(Foi só um beijo. Se Masamune já se esqueceu sobre isso, mesmo sendo frustrante, então talvez eu deva esquecer também.)

Eu suspirei e respirei calmo e devagar.

Foi quando me lembrei—

MC: “Oh, Masamune, obrigada pelo tour.”

(Nossa aventura no lago fez eu me esquecer completamente que eu havia pedido a ele para me mostrar mais sobre a vida aqui.)

Masamune: “Hã? Oh, isso.”

MC: “Você escolheu um bom lugar para me levar. Me deu algumas coisas em que pensar.”

Masamune: “Para ser sincero, eu iria pra lá hoje de qualquer maneira.”

MC: “Eu imaginei, já que você tinha lanches embrulhados.”

Masamune: “Eu pensei que seria divertido realizar seu pedido enquanto eu fazia minhas tarefas.”

Masamune: “Quanto ao fim de sua promessa, não me deixou sem palavras, mas eu diria que estamos quites por agora.”

Masamune: “Estou ansioso para a próxima vez, no entanto.”

Masamune enrolou uma mecha do meu cabelo ao redor do seu dedo.

Levemente úmido, os fios se agarraram ao dedo dele como se pertencessem ali.

Masamune: “Eu tenho grandes expectativas em você.”

*Cap. 3 – (1/10) completo*




❖ Parte 2 



Masamune: “Eu tenho grandes expectativas em você.”

(Eu acho que eu tenho grandes expectativas por conta própria.)

Esfregando uma mecha do meu cabelo entre seus dedos, Masamune deu um lindo e despreocupado sorriso.

Masamune: “Vejo você amanhã. Espero que não fique trancada em seu quarto.”

Com um tapinha na minha cabeça, Masamune entrou no terreno do castelo.

Eu estava sozinha agora com meu coração palpitante.

(Talvez ele não tenha esquecido sobre o beijo? É o Masamune. Ele pode simplesmente ser incrivelmente casual sobre isso.)

(Casual sobre lutas, casual sobre beijo. Ambos vão levar algum tempo até eu me acostumar.)

........................

Os próximos poucos dias foram ocupados e sem incidentes.

(Nossos suprimentos de pólvora e lanças estão bons.)

Mitsunari: “Oh, MC. Bom te ver. Obrigado por tudo o que você está fazendo esses dias.”

MC: “De nada. E boa tarde para vocês dois.”

Hideyoshi: “Eles te colocaram para inspecionar os armamentos hoje? Parece que você está trabalhando duro.”

Mitsunari: “Você se tornou uma chatelaine maravilhosa.”

Mitsunari: “Eu tenho visto você nos arquivos, com as costureiras, tomando conta de todo o castelo.”

MC: “Bem, todos são bem cooperativos não importa onde eu vou. Isso torna as coisas mais fáceis.”

MC: “Nobunaga tendo ou não uma tarefa específica pra mim, sempre tem algo que eu possa fazer.”

(Hoje a inspeção das armas e armaduras foi, é claro, uma tarefa do Nobunaga.)

Mitsunari: “As costureiras falam especialmente muito bem de você, e não só do seu trabalho.”

Mitsunari: “Elas disseram que você é incrível na costura, e ensinou a elas coisas das quais elas nunca tinham ouvido falar.”

Hideyoshi: “Eu ouvi que foi você quem escolheu os novos arranjos de flores para o interior do castelo também. Todos dizem que sua escolha das cores foi perfeita.”

MC: “Eu não tinha idéia que as pessoas estavam falando de mim.”

(Costurar e combinar cores são duas coisas que eu amo fazer.)

Eu estava feliz em colocar minhas habilidades em uso nesse tempo.

Mitsunari: “Você parece estar se divertindo.”

MC: “Oh, eu estou. Eu gosto de ser útil.”

Hideyoshi: “Você tem sido mais útil do que eu esperava. Continue assim. Sirva bem ao Lorde Nobunaga.”

MC: “Obrigada, eu acho.”

Eu acenei um adeus aos dois enquanto eles saíam do depósito de armas.

(“Divertindo”)

Eu fui lembrada do que o Masamune havia me dito nas margens do lago.

<Lembranças>

Masamune: “A vida está aí pra você aproveitá-la.”

Masamune: “Você pode fazer isso da maneira que quiser, só tenha certeza de estar fazendo isso por você, não por ninguém.”

Masamune: “Se você tentar viver do jeito de outra pessoa, você vai acabar com arrependimentos.”

Masamune: “Você pode se curvar em uma bola no seu quarto, ou sair, cavalgar e rir com amigos. Das duas formas, você ficará com fome em algum momento.”

<Fim das lembranças>

(Me ajudou ele ter explicado daquele jeito.)

(Eu não estou mais me arrastando para encontrar o meu lugar nesse tempo.)

Masamune constantemente me lembrava de olhar pra frente enquanto eu estiver aqui. De não perder o momento, seja ele divertido ou assustador.

<Lembrança>

Masamune: “MC, sorria mais.”

Masamune: “Você tem um sorriso maravilhoso.”

<Fim da lembrança>

(E então teve o beijo.)

Aquele beijo perfeito, apaixonado, natural.

(Eu vou ter que ter certeza que ele não acha que um beijo é um passe livre para qualquer coisa.)

*Cap. 3 – (2/10) completo*




❖ Parte 3 



Enquanto isso, em sua mansão, Masamune também se encontrava perdido em seus pensamentos.

Ele estava lá com Ieyasu, que tinha ido consultar ele sobre assuntos militares.

Ieyasu: “Então eu acho que talvez seja necessário chamar mais dezenas de soldados—“

Masamune: “Mm-hm.”

Masamune estava sentado na varanda, acariciando o pescoço do Shogetsu.

Sua resposta sem graça fez Ieyasu fechar a cara.

Ieyasu: “Você não está ouvindo, está?”

Masamune: “Oh, estou ouvindo, estou ouvindo.”

Ieyasu: “Você está mentindo. Estou tentando ter uma conversa séria com você.”

Masamune: “Não fique mal humorado, Ieyasu.”

Masamune: “Eu só estava me lembrando da moça, ter vindo aqui, segurado o Shogetsu no colo e ter gritado comigo.”

Ieyasu suspirou secamente, encarando Masamune.

Ieyasu: “É raro você pensar tanto assim em uma mulher.”

Ieyasu: “Você realmente gosta da MC, não é?”

Masamune: “Bem, ela brigou comigo, pegou aquele traidor, Yoshitoshi, me pediu pra ver meus homens, e caiu em um lago comigo.”

Masamune: “É, eu diria que gosto dela!”

Masamune soltou uma risada, sussurrando enquanto fazia cócegas no queixo do Shogetsu.

Ieyasu: “Eu só sei que quando você encontra alguém que você gosta, você age pelo desejo.”

Ieyasu: “Mas você provavelmente não deveria nesse caso. Você não sabe nada sobre ela.”

Masamune: “Eu não sei nada sobre ela, e eu realmente não me importo.”

Ieyasu: “Estou dizendo pra você não se apegar.”

(NT: Ieyasu...Ieyasu...não cospe pra cima q vai cair na sua testa. 😕)

Ieyasu: “E se ela estiver trabalhando para o inimigo?”

Ieyasu: “Você poderia matá-la se estiver?”

A expressão do Masamune de repente se tornou severa.

Masamune: “Você sabe pra quem está perguntando, certo?”

Os olhos dele se estreitaram friamente.

O pelo do Shogetsu se eriçou e ele começou a rosnar.

Masamune: “Você está incomodado de novo, gatinho?”

Ieyasu: “É porque você está assustando ele.”

Masamune: “Eu? Qual é, Ieyasu .”

Mas a severidade no olhar do Masamune não desapareceu, mesmo ele continuando a acariciar o Shogetsu.

Ieyasu suspirou e encolheu os ombros.

Ieyasu: “Foi uma pergunta estúpida. Retiro o que eu disse.”

.........................

No dia seguinte, houve convocações do Nobunaga. Eu fui em direção a sala de audiência.

(Todos vão estar lá novamente.)

(Isso significa que Masamune também.)

(Essa vai ser a primeira vez que vejo ele desde o lago.)

(Eu acho que devo conversar com ele. Antes cedo do que tarde.)

Mas a cada passo que eu dava em direção à sala, minha convicção oscilava um pouco mais.

(Por que eu estou tão nervosa?)

MC: “Com licença.”

(Sim, todos estão aqui.)

Eles estavam sentados e conversando. O conselho já estava em andamento.

Hideyoshi: “Isso é verdade, meu lorde?”

Nobunaga: “Foi o que o espião nos contou.”

Nobunaga: “O vassalo de Shingen, Yukimura Sanada, se infiltrou em Azuchi.”

(Yukimura Sanada?)

*Cap. 3 – (3/10) completo*




❖ Parte 4 



Nobunaga: “Foi o que o espião nos contou.”

Nobunaga: “O vassalo de Shingen, Yukimura Sanada, se infiltrou em Azuchi.”

É um nome familiar.

(Eu me lembro dele do guia turístico. Ele é outro lorde guerreiro popular de Sengoku.)

(Não um dos nossos, obviamente.)

Masamune: “Yukimura está aqui? Eu adoraria uma chance de lutar com ele.”

(Aí está Masamune.)

Seu entusiasmo fazia ele se destacar entre os outros.

Eu tomei o meu lugar no fim da sala, evitando seu olhar no momento.

Mitsuhide: “A única informação que temos é que ele está acompanhado de um ninja.”

Mitsuhide: “Todos precisam ser cuidadosos para que essa informação não escape.”

Nobunaga: “Eu espero que nenhum de vocês fique parado enquanto o inimigo conspira contra nós.”

Nobunaga: “Se pudermos matar Yukimura aqui, nós iremos cortar a força do inimigo pela metade.”

Nobunaga: “Não percam nenhuma oportunidade de fazer isso.”

(Lutar. Matar. Essa é a solução para todos os problemas aqui.)

Mitsuhide: “MC?”

MC: “Sim?”

Eu me endireitei como se tivesse sido chamada na classe.

Mitsuhide: “Você se tornou familiarizada com os trabalhos internos de Azuchi.”

Mitsuhide: “O inimigo pode ter você como alvo para obter essa informação. Seja extremamente cuidadosa.”

(Eu? Um alvo para o inimigo? Como isso é justo?)

Eu só quero fazer meu trabalho até chegar a hora de ir pra casa. Eu não quero estar na frente da ponta de uma espada nunca mais.

MC: “Eu irei.”

Nobunaga: “Nós iremos parar até a tarde, quando eu devo fazer outro conselho. Até lá, vocês estão dispensados.”

Com essas palavras, a reunião acabou.

Todos se levantaram dos seus lugares. Eu olhei ao redor procurando Masamune—

(Ali.)

Ele olhou pra mim, e eu desviei o olhar.

(Fala com ele! Fala com ele! O que exatamente eu ia dizer pra ele de novo?)

Masamune: “Eu só tenho um olho. Você poderia poupar um pra olhar pra mim.”

Masamune parou ao meu lado.

Ele riu, achando graça.

Masamune: “Eu não ganho nem um oi?”

MC: “Oi.”

Masamune: “Acho que eu deveria ter pedido por mais.”

(Tudo que eu consigo pensar em dizer é: “Então, e sobre aquele beijo?”)

Eu sorri desanimada.

Masamune: “Está tudo bem. Eu estou de bom humor agora que eu soube que Yukimura está aqui.”

MC: “Ter um espião aqui te deixa de bom humor?”

Masamune: “Eles enviaram um de seus melhores guerreiros para obter informações. É um movimento ousado.”

Masamune: “...Você ouviu isso? É um ninja, debaixo do assoalho!”

MC: “Sem chance, certo?!”

Masamune: “Você é fácil de provocar, MC.”

Eu suspirei. Ele não estava errado.

Masamune saiu da sala, rindo feliz. Eu corri atrás dele.

(Ele brincou sobre ninja debaixo do assoalho e eu comecei a procurar! O que eu preciso fazer é relaxar.)

Masamune: “Parece que eu vou ter minha chance de encarar Yukimura mais cedo do que pensei.”

Andando ao meu lado, Masamune tinha um sorriso feroz.

(Ele na verdade está esperando por isso. Eles vão empunhar espadas reais. Masamune pode morrer.)

MC: “Você não tem medo? Nem mesmo um pouquinho?”

Masamune: “Você tem?”

MC: “É claro! De onde eu venho, você tenta não fazer inimigos. Se alguém for um cretino, você simplesmente o evita.”

Masamune: “Isso é terrivelmente medroso, vindo de uma lutadora como você.”

MC: “Eu não sou uma lutadora, eu sou uma designer de moda!”

Masamune me encarou, quase me atravessando.

(O que ele está olhando?)

Mas ele não estava olhando. Ele se inclinou e roubou um beijo diretamente dos meus lábios.

Eu travei de repente.

MC: “O que foi isso!?”

Masamune: “Eu vi alguém que parecia precisar de um beijo. Então eu a beijei.”

*Cap. 3 – (4/10) completo*




❖ Parte 5 



Masamune: “Eu vi alguém que parecia precisar de um beijo. Então eu a beijei.”

(Ai cara. Eu senti que isso poderia acontecer!)

Eu encarei ele. Masamune encarou de volta, rindo.

Masamune: “Agora você não parece tão nervosa.”

MC: “Não chegue simplesmente em uma pessoa nervosa e a surpreenda com um beijo!”

Masamune: “O que eu deveria ter feito?”

MC: “Você diz: ‘Você parece preocupada. Você está bem’”

Masamune: “E quantas vezes isso te dá uma resposta útil?”

(Okay, nem sempre. Mas eu certamente não iria beijar todas as pessoas nervosas que eu visse!)

Masamune passou a mão no meu cabelo devagar, mas eu o afastei.

MC: “No fim das contas, eu queria falar com você sobre isso, de qualquer forma.”

MC: “Isso tem o mesmo significado que aquele beijo no lago?”

Masamune: “Não. Eu beijei você aquela vez porque você estava fofa.”

MC: “E eu te beijei porque você estava lin—Espera, não.”

Eu não queria dar a ele vantagem sobre mim. Masamune pegaria isso e correria.

(Era o que temia. Beijos são só impulsos do momento para ele.)

(Eu tive essa sensação quando ele jogou aquela cantada, ‘Você tem um sorriso bonito’ em mim.)

Mesmo assim, pensar na maneira que ele disse aquilo me dava um sentimento engraçado, caloroso.

Masamune: “Você parece mal humorada. Pode beijar pessoas mal humoradas?”

Masamune correu suavemente seu polegar de baixo do meu queixo, levantando meu rosto.

Masamune: “Porque eu posso te beijar de novo se isso for ajudar.”

(Ele está pronto pra isso!)

MC: “Masamune, não é assim tão simples de onde eu venho.”

Masamune: “Não tem nada simples pra mim. Se eu ver alguém fofo, eu quero beijá-lo.”

MC: “Então o que? Você beija o Shogetsu desse jeito?”

Masamune: “Na verdade, eu beijo.”

Masamune: “Quando as pessoas se beijam no futuro? Só quando elas estão molhadas?”

(NT:  normalmente as pessoas ficam molhadas depois do beijo 😏...hauahuauauhu 😆 Desculpem, não tinha como minha mente poluída não pensar besteira.)

MC: “Ahh! Você sabe muito bem que não é isso que acontece!”

Masamune: “Eu quero saber onde você vê a diferença.”

Com o olhar cativante do Masamune fixo em mim, eu percebi meu coração batendo rápido.

MC: “Para nós, beijar é especial. Precisa de um clima, e geralmente a outra pessoa tem que estar CIENTE.”

Masamune: “Então você não gostou do beijo de agora?”

MC: “Isso não vem ao caso!”

(É claro que eu gostei!)

(Os lábios do Masamune podem ser tema de poesia.)

Masamune: “Se você não gosta disso, então me diga da próxima vez.”

O absurdo que ele me disse só me atingiu quando ele tirou seu caloroso polegar do meu rosto.

MC: “Eu não sou vidente. Como eu sei quando será a próxima vez?”

Masamune: “Suponho que quando tiver um clima bom, e você estiver ciente.”

Masamune: “Mas diga com convicção. A convicção mexe comigo mais do que as palavras.”

(Pelo menos eu descobri que o Masamune não coloca muita emoção em um beijo.)

(Isso significa que eu posso parar de sonhar acordada sobre aquele beijo agora. Okay, 5 minutos a partir de agora.)

MC: “Sim. Você é tudo sobre convicção, não é? Está bem.”

Eu estava quase me virando quando Masamune colocou a mão no meu ombro.

MC: “Sim?”

(O que é esse brilho em seu olho?)

Masamune: “Tem mais uma coisa, e eu acho que você pode gostar disso.”

*Cap. 3 – (5/10) completo*


❖ Na próxima parte: Masamune bateu em minha porta no meio da noite. “Eu vim para um encontro.”
As diferenças entre o que era normal no meu tempo e no dele estavam se tornando muito óbvias para ignorar.
(Eu acho que encontrei meu par.)




❖ Parte 6 



Masamune: “Tem mais uma coisa, e eu acho que você pode gostar disso.”

Quando me virei pra ir embora, Masamune colocou a mão no meu ombro.

MC: “O que você tem em mente?”

Masamune: “Você disse que estava preocupada com sua sobrevivência.”

Masamune: “E como você ouviu na reunião, Yukimura está se escondendo em algum lugar de Azuchi.”

Masamune: “Na próxima vez que você se deparar com um inimigo, você deve estar preparada.”

MC: “Eu concordo com isso.”

Masamune: “Então o que você vai precisar é de uma maneira de se proteger.”

(Ele não está falando sobre aprender a empunhar uma espada, está?)

Mitsuhide: “Entendo. E então você a trouxe aqui.”

Ieyasu: “Isso é uma má idéia.”

Masamune me levou com ele para a mansão do Mitsuhide.

Masamune: “Você é nosso melhor atirador. Se a MC for aprender, ela deve aprender do melhor.”

MC: “Você tem certeza que aprender a atirar é a melhor idéia?”

Masamune: “Ieyasu está atualmente aprendendo com o Mitsuhide, eu percebi que você pode se juntar às aulas.”

Ieyasu: “Eu aposto que ela não pode fazer isso.”

Mitsuhide: “Qualquer um pode, com prática. Você já segurou um rifle antes, MC?”

MC: “Não.”

(Eu nunca vi um rifle mosquete fora do museu!)

Mitsuhide: “Então tente segurá-lo para começar.”

Mitsuhide casualmente pegou um rifle mosquete inclinado contra a parede e entregou para mim.

MC: “Uffff!”

(Isso é realmente pesado!)

Eu tive que usar as duas mãos para levantar ele, e ainda assim preocupada em derrubá-lo.

Mitsuhide: “Eu acredito que uma abordagem manual é a melhor maneira de aprender.”

Mitsuhide: “Eu não vou sugerir que você comece a atirar hoje, mas você deve pegar o jeito.”

MC: “Está bem.”

Masamune: “Leva anos para se aprender a usar uma espada corretamente.”

Masamune: “Mas leva somente dois dias para aprender a atirar, certo?”

Mitsuhide: “Isso foi um ‘atire,certo’ ou um ‘atire certo’? Por que a segunda opção leva muito mais que dois dias.”*1

Masamune: “Que? É só mirar e atirar.”

(Mirar e atirar no que? Em uma pessoa? Porque eu não vou ser capaz de atirar em uma pessoa em dois dias, ou algum dia.)

Ouvi-los conversarem indiferentes sobre isso deixou eu me sentindo um pouco sozinha.

MC: “Eu pensei que eu fosse aprender só para autodefesa. Eu não pretendo usar isso em alguém.”

Mitsuhide: “Que gentil. O que te faz uma inútil no campo de batalha como nada mais do que um alvo.”

Mitsuhide: “Como você pode se defender de alguém que tenta te matar se você não está pronta para matá-lo antes?”

(Tem que ter outro jeito. Certo?)

As palavras cruéis do Mitsuhide transmitiram um arrepio pela minha espinha.

O sorriso dele aumentou.

Mitsuhide: “Você está assustada. Mas eu posso te garantir, você não está assustada o suficiente.”

Mitsuhide: “Não se preocupe, eu vou tentar estar lá para segurar sua mão enquanto você morre. Assumindo que você não estará em algum lugar frio, e sozinha—“

MC: “Okay, para!”

Masamune: “É, chega, Mitsuhide. Sua provocação não é engraçada.”

Mitsuhide: “Oh? Você está sugerindo que eu aprenda com você, Masamune?”

MC: “Bem, ele é mais leve para alimentar pesadelos.”

Eu dispensei o mais rápido possível o cenário horrível que o Mitsuhide havia me presenteado.

MC: “E pelo menos o Masamune é divertido quando ele está brincando comigo.”

Masamune: “Brincando? Quando foi que eu estive brincando com você?”

MC: “Literalmente toda vez que eu te vejo?”

Eu balancei minha cabeça para o Masamune, percebendo que o Ieyasu me observava do canto em silêncio.

(Mais reclamações sobre o que posso fazer ou não?)

Mas ele desviou o olhar.

(NT: O que eu disse antes sobre cuspir pra cima? Vai vendo...)

(Ou isso não é sobre a minha falta de sede de sangue para ele?)

Mitsuhide: “Isso realmente é diversão o suficiente. É hora de a aula começar.”

Mitsuhide: “MC, nós vamos começar aprendendo todas as partes do rifle.”

MC: “Parece bom. E obrigada por me ensinar.”

.....................

Minha primeira lição de tiro terminou ao por do sol.

Depois disso, teve o conselho de guerra. E então, eu voltei para o meu quarto.

(Masamune estava quieto durante o conselho. Eu estava ocupada com minhas lições.)

Eu deitei em cima do meu futon, pensando no que eu havia aprendido.

MC: “Aquele rifle era mais pesado do que eu pensava que seria.”

Parecia bobo, mas eu senti como se estivesse carregando o peso da vida de outra pessoa em minhas mãos.

(Eu estou sempre disposta a aprender uma nova habilidade, mas essa é a primeira que eu espero nunca ter que usar.)

(Eu sei que a vida aqui é difícil, mas eu não quero ter que matar. Isso é algo que você nunca pode voltar atrás.)

Eu suspirei, tentando evitar que meus pensamentos se afundem em um lugar escuro.

???: “Dama MC, você está dormindo?”

*Cap. 3 – (6/10) completo*




❖ Parte 7 



Eu ouvi a voz de um homem do outro lado da porta.

(Quem é?)

MC: “Não. Eu ainda estou acordada. Quem é?”

???: “Oh? Você não me reconhece?”

(Bem, agora eu reconheço sua voz E o fato de você estar tentando esconde-la.)

Eu me movi para abrir a porta.

MC: “O qu—“

Imediatamente, meu visitante pegou minha mão e me puxou para seu lado.

Eu olhei para o olho intenso do Masamune.

MC: “Masamune, o que você está fazendo aqui tarde da noite? E me chamando de ‘Dama MC’?”

Masamune: “Você acreditaria que isso era um teste? Você estava pensando na sua segurança antes de abrir a porta?”

MC: “Eu não sei. Eu abri para você, e você é a pessoa menos segura aqui.”

MC: “E mais, você não é muito bom em fingir sua voz, ‘moça’.”

MC: “Então, e aí? Você não veio só checar minhas medidas de segurança, veio?”

Masamune: “Não. Eu vim para um encontro.”

MC: “Levando as coisas um pouco rápido depois do beijo, não é?”

Masamune: “Eu deixei meu tigre na minha mansão. Eu pensei que você aprovaria.”

(Eu tenho certeza que ainda vejo um grande ‘gato imprudente’ na minha frente.)

Masamune colocou gentilmente a mão no meu rosto, levantando ele em direção ao seu.

Meu coração batia rápido de uma maneira que estava se tornando familiar ao redor dele.

(Ele não está realmente sério, no entanto.)

Mesmo se ele estivesse sério, quente como o Masamune era, eu não estava pronta para um encontro amoroso com o beijador mais casual do Japão.

MC: “Estou ocupada essa noite. Desculpe.”

Masamune: “Você está partindo meu coração. Dito isso, era uma brincadeira.”

Masamune: “Eu tenho um pedido pra você.”

(Sim. Eu não entendo o humor da era Sengoku ou o Masamune.)

Ainda assim, uma pequena parte de mim expressava decepção por ele não estar sério.
Masamune entrou no meu quarto e desenrolou um pedaço grande de papel em branco na minha mesa.

MC: “Que papel artesanal maravilhoso! Eu acho que, já que é século 16, eu não posso dizer que ele é antigo, mas mesmo assim!”

Masamune: “Eu quero que você desenhe pra mim.”

MC: “Um desenho?”

Masamune: “Algo como eu vi no seu livro de desenhos. Eu quero usá-lo como pergaminho de parede.”

(Ele quer dizer um dos meus designs de roupas?)

(Isso não é realmente arte, no entanto. Parando pra pensar, ele ainda tem aquele meu design de vestido!)

MC: “Por que você quer um pergaminho de parede de algo assim?”

Masamune: “Porque eu gosto da sua arte. Eu posso ver o esforço nela.”

Masamune: “É imperfeita de uma maneira grosseira, energética, que a torna bonita.”


Opções:

1- “Obrigada”
2- “É grosseira de propósito” (escolhida) 
3- “É a primeira”


MC: “Masamune, elas são grosseiras porque são esboços.”

Masamune: “Eu ainda acho eles impressionantes. Eu realmente aprecio o jeito que você desenha.”

(Masamune está sendo honesto. Ele realmente gosta deles.)

Seu sorriso infantil tocou meu coração.

MC: “Então você quer que eu desenhe algo pra você hoje a noite?”

Masamune: “É. Não se preocupe se você errar. Eu trago mais papel.”

MC: “Está bem.”

(Ele é a primeira pessoa que pensou nos meus desenhos como arte! Eu não posso recusá-lo.)

Masamune se sentou no chão ao meu lado, seu olho brilhante e vívido.

Aquele olhar trouxe um sorriso para o meu rosto. Eu olhei para o pedaço de papel branco.

(Essa vai ser minha primeira vez desenhando em um pergaminho.)

(Eu pensei que a pressão fosse me dar um bloqueio artístico, mas eu estava inspirada!)

Eu peguei um pincel e preparei um pouco de tinta.

Então, como se eu estivesse desenhando um design de vestido, comecei com uma figura feminina.

(Faz muito tempo, mas é realmente relaxante sentar e desenhar.)

(Não importa que período de tempo eu estou, isso é algo que eu amo fazer.)

Masamune estava quieto do meu lado.

Ele repousou a mão atrás dele, ficando em uma posição relaxada enquanto olhava eu desenhar.

(Eu amo quando minhas roupas, minha costura, meus designs, fazem as pessoas felizes.)

(Foi por isso que eu decidi que queria me tornar uma design de moda!)

Eu continuei desenhando em um silêncio pacífico.

MC: “Ainda acordado, Masamune?”

Masamune: “Mm.”

(Essa foi uma resposta bem calma vinda dele. Ele dormiu?)

Eu levantei meu pincel e olhei pra ele, mas ele não parecia sonolento de jeito nenhum.

Ele ainda estava me observando. Eu sorri em ter esse momento sociável entre nós dois.

MC: “Eu estou realmente feliz por você ter me escolhido pra isso.”

MC: “Significa muito pra mim você ter vindo aqui com esse pedido.”

Masamune: “Verdade?”

Masamune: “Bem, fico feliz.”

De forma hesitante, Masamune me deu um doce sorriso. Ele próprio parecia uma pintura.

Masamune: “Eu realmente amo te ver sorrindo, gatinha.”

Masamune passou seus braços ao meu redor.

(Espera. O que é isso--?)

*Cap. 3 – (7/10) completo*




❖ Parte 8 



Masamune: “Eu realmente amo te ver sorrindo, gatinha.”

Masamune passou seus braços ao meu redor.

(Espera. O que é isso--?)

Nos movemos tão lentamente que levou um tempo até eu perceber que estava no chão, e Masamune estava por cima de mim.

(Isso foi suave--)

Do canto do meu olho, eu podia ver meu pincel rolando pelo chão, a tinta deixando rastro no tapete.

Masamune: “MC.”

Eu senti o toque da mão do Masamune no meu rosto.

Seus dedos viraram meu rosto em direção ao dele.

Sua franja caia solta em seu rosto, e nós estávamos tão perto que ela fazia cócegas na minha bochecha.

Masamune: “Apenas olhe pra mim.”

(Eu estou olhando pra você. Você está maravilhoso como sempre, e--)

Sua respiração estava em meus lábios.

Eu senti a seda do futon cobrir as costas da minha mão. Apenas lentamente fui saindo do momento.

MC: “Eu acho que houve um mal-entendido.”

Masamune: “Você acha? Em que parte?”

MC: “Sua. Minha. Talvez dos dois?”

Sua risada baixa, prazerosa, era quente em meus ouvidos. Ele levou os lábios próximos ao meu pescoço.

O cabelo do Masamune era tão macio quando encostava em mim. Meu corpo me avisou que não achava que houvesse um mal-entendido.

MC: “Masamune, o que você está pensando agora?”

Masamune: “Eu estou pensando que o clima estava bom, e você estava ciente.”

MC: “Sim, as duas coisas são verdadeiras.”

(Mas você é um sedutor, e isso não vai significar nada pra você. Seus beijos me ensinaram isso. Seus beijos incríveis--)

Masamune pegou a gola do meu kimono com os dentes.

Ferozmente, ele o puxou, expondo do meu pescoço até a clavícula.

(E isso é o mais longe que eu vou deixar isso ir.)

MC: “Sério, vamos esperar.”

Masamune: “Pelo que?”

MC: “Eu ainda estava no meio do seu desenho pra começar. Agora tem tinta por todo o chão.”

Masamune: “Bem, isso é um problema.”

Masamune se moveu para deitar ao meu lado, me observando, entretido.

MC: “Olha, isso é sério.”

Ele acariciou meu cabelo. Eu imaginei como seriam suas mãos se enfiando entre eles, selvagem e apaixonadamente—

(Não. Não, eu preciso me focar.)

MC: “Eu acho que você está confundindo as coisas, Masamune. Você e eu não somos um casal, ou um item, ou ‘coisa’.”

Masamune: “Eu não sei o que significa nada disso.”

MC: “Nós não estamos namorando? Nós não estamos apaixonados? Eu não me sinto bem em dormir com você no impulso do momento.”

Masamune: “Quem está dizendo alguma coisa sobre dormir?”

(Que? Oh não. Oh não não. Alerta de barreira cultural E de linguagem!)

MC: “Okay. O que eu quero dizer com dormir juntos é o que você estava pensando em fazer agora há pouco. O dormir vem depois.”

Masamune: “Entendi o sentido disso.”

MC: “Então, em outras palavras? Um casal, um item, uma coisa? É alguém com quem você deve estar ‘dormindo com’. Por isso—“

Hideyoshi: “Hey, MC, é tarde da noite. Fala mais baixo.”

(NT: Micão! 😳hauhauha)

(E as coisas acabam de ficar piores!)

Eu gemi.

(Ele não iria entrar, iria? É melhor que ele não faça isso!)

Masamune: “Eu acho que devemos nos esconder.”

MC: “Você também?”

O primeiro instinto do Masamune foi agarrar o cobertor do futon, e eu junto com ele.

Me apertando junto do seu peito, ele se deitou e jogou o cobertor em cima de nós dois.

(Não tem como o Hideyoshi cair nessa!)

Hideyoshi: “MC? Você já dormiu?”

Pressionada firmemente contra o peito do Masamune, eu não podia ver nada. Mas eu pude ouvir a porta se abrindo.

(Masamune, eu vou matar você e o Hideyoshi se ele nos encontrar!)

Eu olhei para o rosto do Masamune. Ele colocou um dedo contra os lábios.

(Eu me sinto como uma criança pequena. Honestamente? Isso É divertido.)

Eu me pressionei um pouco mais perto do Masamune e dei a ele um sorriso conspiratório.

Meu rosto estava quente. O único ar ao redor era nossa respiração. Minhas orelhas coçavam, e meus lábios estavam quentes.

Masamune: “Ele nunca vai parar de dar sermão se ele nos ver—“

MC: “Shh! Foi você que disse pra não falar—“

Nós sussurrávamos um para o outro, nossa quieta respiração aquecia mais o ar.

Todo momento que eu passava encarando o olho do Masamune, tudo que eu podia pensar era nele.

(Hideyoshi, anda logo e sai!)

*Cap. 3 – (8/10) completo*




❖ Parte 9 



(Hideyoshi, anda logo e sai!)

Depois de um longo e tenso momento, eu ouvi Hideyoshi suspirar.

Hideyoshi: “Eu acho que ela está dormindo? Ela faz muito barulho durante o sono.”

Hideyoshi: “Sua respiração parece um pouco difícil também. Talvez eu pergunte ao Ieyasu se ele tem algum remédio para ajudar ela a dormir.”

Masamune começou a dar uma risadinha.

MC: “Não se atreva--!”

Ele estava tremendo em meus braços, tentando se segurar.

Masamune: “Não posso evitar—“

MC: “Engole isso--!”

Eu finalmente ouvi a porta se fechar e o som de passos se retirarem para a sala.

MC: “Ele já foi?”

Masamune: “Parece que sim.”

Masamune: “Hahahaha!”

MC: “Não ria, você vai atraí-lo de volta!”

Logo que nós dois saímos do futon, Masamune não pôde conter sua risada por mais tempo.

Masamune: “Você pode esperar algum remédio para sua respiração difícil logo.”

MC: “Se for do Ieyasu provavelmente vai ter um gosto bem amargo!”

Masamune: “Ainda assim, estou impressionado com a mente do Hideyoshi.”

Masamune: “MC, você está falando muito alto—em seu sono!”

MC: “Sim, isso foi engraçado.”

(Foi só por causa da ingenuidade do Hideyoshi que não fomos pegos.)

MC: “Haha—“

E de repente eu não pude segurar minha risada também.

Eu me sentei ao lado do Masamune no futon. Nós rimos juntos.

MC: “Wow! Eu não consigo me lembrar da última vez que eu fiz algo assim. Se é que fiz alguma vez. Estou exausta.”

Masamune: “Eu também. Toda essa boa energia gasta em nada.”

Ele cai pra trás na cama. Eu me abaixei ao lado dele.

MC: “Se você não tivesse começado isso, nós não teríamos que nos esconder.”

MC: “Isso vai ensinar você a não interromper as pessoas quando elas estiverem desenhando.”

Masamune: “Você estava sendo fofa, e eu esperei até o clima estar bom.”

MC: “Olha, Masamune. Apenas não é legal fazer algo desse tipo a não ser que nós dois gostamos um do outro primeiro.”

Masamune: “Então qual é o problema?”

Masamune: “Eu gosto de você.”

(Espera, você gosta? Mas de maneira casual, certo?)

Eu me virei para o Masamune, procurando seu único olho.

Ele se apoiou em seu cotovelo, me encarando intensamente.

MC: “Para mim, existe a necessidade de ter algum tipo de compromisso também.”

Masamune: “O futuro de novo? Aqui, nós fazemos o que sentimos que é certo.”

Masamune: “E parecia ser o certo com você. Se parecesse que você não estava interessada, eu não teria vindo para uma visita noturna.”

Masamune: “Eu estava errado?”

MC: “Não pelos seus critérios. Quando algo é simplesmente normal pra você, é difícil explicar em palavras—“

(Mesmo assim eu usei a mesma desculpa quando o beijei. Porque parecia o certo.)

(Mas mesmo que às vezes pareça ser o certo para nós dois--)

Masamune deixou claro sua opinião sobre o assunto. Eu ainda estava procurando por palavras para me explicar.

(Mesmo que eu não possa explicar pra ele o que é um relacionamento moderno, ainda é o que me deixa confortável.

Masamune deu uma risadinha.

Masamune: “Você parece cansada. Mas não cansada o suficiente pra eu cutucar suas bochechas, gatinha.”

MC: “Provocador.”

Masamune deu um pequeno beijo na minha testa.

Eu observei enquanto ele se levantava, já sentindo sua falta.

Masamune: “Se alguma vez você quiser que eu pare, tudo o que você precisa fazer é dizer.”

Masamune: “Estarei esperando o desenho. Traga-o até minha casa quando tiver terminado.”

Masamune endireitou seu kimono antes de sair do meu quarto.

(Eu acho que encontrei meu par.)

Sozinha, eu olhava descontente para minha porta.

(“Se parecesse que eu não estava interessada!”. Essas são palavras realmente perigosas.)

(Então novamente, eu não estou exatamente desinteressada, estou?)

Meu coração palpitante me dava uma resposta com a qual minhas sensibilidades não concordavam. Minha cabeça estava girando.

MC: “Oh, eu já tive o suficiente!”

Eu afundei meu rosto no travesseiro e soltei um suspiro enorme.

MC: “Ele está me confundindo tanto. ‘Seja livre’. ‘Esqueça suas preocupações’. Você É minhas preocupações, Masamune Date!”

Eu gritei no meu futon bagunçado. Estava quente, e ainda tinha o cheiro dele.

(Por que você está ocupando todos meus pensamentos?)

Aquela noite, eu tive dificuldades pra dormir.

..................

(Hoje é um novo dia!)

(Focar no trabalho deve tirar todos aqueles pensamentos incômodos da minha cabeça!)

Eu tenho trabalhado o dia todo. Essa tarde, Nobunaga me deu uma carta para trazer ao Ieyasu.

MC: “Com licença.”

Eu abri a porta. Ieyasu, com seu nariz em um livro, olhou pra mim rapidamente.

Ieyasu: “O que foi?”

MC: “Eu tenho uma carta pra você do Nobunaga.”

Ieyasu: “MC—“

*Cap. 3 – (9/10) completo*




❖ Parte 10 



MC: “Eu tenho uma carta pra você do Nobunaga.”

Ieyasu: “MC. Deixa aí.”

Seja lá o que Ieyasu ia dizer, ele pareceu mudar de idéia, voltando ao seu livro.

(Ele é difícil de fazer amizade.)

Ieyasu: “...Eu ouvi que você está tendo problemas para dormir.”

(Hideyoshi contou pra ele no fim das contas!)

Ieyasu: “É o Masamune, não é?”

MC: “Que? Masamune?”

Ieyasu de repente fechou seu livro para olhar pra mim.

Ieyasu: “Estou errado?”

MC: “Não. Masamune é, de fato, a razão pela qual eu estou tendo problemas pra dormir.”

Ieyasu: “Se você não quiser se machucar, você deveria cortar as coisas com ele rapidamente.”

(NT: dor de cotovelo detectada...😀)

MC: “O que quer dizer?”

Ieyasu: “Você está pensando que o Masamune ainda é normal, mas ele não é.”

Ieyasu: “Mesmo nesses tempos de guerra, não há ninguém mais assustador para estar perto.”

(Eu nunca pensei que o Masamune fosse normal pra começar.)

MC: “O que é tão assustador nele?”

Frustrantemente, Ieyasu não respondeu.

Sem outra palavra, ele voltou ao seu livro.

(Se é sobre as lutas, sim, eu admito, eu acho muito assustador. Eu não entendo como isso pode animar ele.)

(Mas Ieyasu não parece ter falado sobre isso.)

Com Ieyasu mantendo seu silêncio, eu saí.

Do lado de fora, eu notei que o céu já estava se tornando laranja.

MC: “Honestamente, Ieyasu provavelmente está certo.”

(Eu deveria cortar as coisas com o Masamune. Eu tenho uma viagem de volta ao presente chegando.)

(Sasuke me avisou especificamente sobre isso--)

<Lembrança>

Sasuke: “Não se envolva profundamente com as pessoas desse tempo.”

MC: “Se envolver profundamente? Sasuke, Eu vou estar em contato com eles por 3 meses.”

Sasuke: “Quero dizer, não se apaixone. Pode perturbar seu desejo de voltar ao futuro.”

MC: “Haha, amor? Não tenho preocupação disso acontecer. Você já conversou com essas pessoas?”

<Fim da lembrança>

(Ainda é verdadeiro. Se apaixonar por qualquer uma dessas pessoas seria a coisa mais louca a se fazer.)

(Masamune nem mesmo compartilha a mesma opinião que eu sobre relacionamentos.)

Eu tirei um pedaço de papel do meu kimono.

Era o desenho que o Masamune pediu.

(Eu fui direto pra ele essa manhã e havia terminado de tarde.)

Levou menos tempo que a maioria das minhas ilustrações, mas não era um trabalho corrido; eu estava orgulhosa dele.

(Era provavelmente porque ele gostou tanto do meu trabalho. Aquilo foi realmente inspirador.)

(Eu estou agradecida por ele. Mesmo que seja só por um pouco mais de tempo, eu na verdade me diverti aqui graças ao Masamune.)

Eu guardei o papel novamente e desci a estrada em direção a mansão, quando—

MC: “Mmmph?!”

Minha boca e nariz foram cobertos por alguma coisa. Alguém me agarrou.

(Quem?! O que?!)

Mas quando eu respirei, a escuridão tomou conta—

...................

Kojuro: “Meu lorde, notícias urgentes!”

Não muito tempo depois daquilo, Kojuro veio correndo pra ver Masamune.

Masamune: “O que foi?”

Kojuro: “Eu acabei de receber um relatório do vigia da cidade!”

Kojuro: “Eles avistaram Sanada Yukimura. E ele seqüestrou a MC.”

Masamune: “O que?”



**Love Challenge**



**Capítulo 3 completo**



❖ No Próximo Capítulo: Após a luta, dor e raiva ferviam dentro de mim.
(Como ele pôde dizer aquilo? Nós estávamos rindo e brincando até ontem.)
Mas Masamune estava friamente decidido. “Se eu precisar, eu mato qualquer um. Até mesmo você.”





✩ Notas de Tradução:

1- Nessa frase todo o sentido está na vírgula, pq realmente muda tudo.
A primeira frase: “Atire, certo.” (com a vírgula) tem o sentido de que alguém está mandando atirar e a pessoa atira independente de acertar ou não o alvo e tudo certo, acabou.
Na frase “Atire certo” (sem a vírgula), quer dizer pra pessoa acertar o alvo, mirar e atirar no lugar certo. 
E como o Mitsuhide disse, pra vc aprender a mirar bem, e acertar o alvo, leva bem mais de dois dias.




❖ CARTA ❖ 

Título: Vai com calma

É um bom dia hoje então pensei em te escrever uma carta.

Parece que você realmente está se adaptando a vida aqui em Azuchi. Você é o assunto do castelo. No fim das contas você pode costurar e decorar tão bem quanto você desenha. Você tem um bom olho para as artes. Isso é uma coisa boa!

Mas acredite em mim, não queira assumir muitas coisas. Vai te estressar e te deixar cansada. Vai com calma.

Obs: Não se esqueça de sorrir. Esse é um pedido meu!

Masamune.



Bate papo com a tradutora


Gente...como eu amo essa MC! Ela é bem impulsiva, parece alguém q eu conheço (EU) hauauhauhuah😂. Mas vou ser sincera, se eu tivesse no lugar dela eu não ia conseguir resistir a essa tentação chamada Masamune não...já teria feito coisinhas..se é q me entendem...hauahuauua 😏
E o que foi aquele cena com o Hideyoshi?? hauhauau eu morri de rir...😂😂 Ele realmente parece uma mãe...kkkk, é um fofo mesmo! 
Eu queria também aproveitar e agradecer de coração a todos os comentários que vcs deixam! Fico muito feliz. Obrigada! 💓 


















2 comentários:

  1. É impressão minha, ou Ieyasu esta fazendo picuinha um com outro? "Se ela estiver trabalhando para o inimigi?" e " Você deveria cortar as coisas com ele rapidamente" sao conselhos de falsiane!!! kkkk (lxvescramble)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pensei a mesma coisa! Parece q alguém quer a MC pra ele..né não?hauauauhauh(≧∇≦)

      Excluir